DESTAQUE AGORAPolítica

Gabriel Souza anuncia que não concorrerá à presidência nacional do MDB

Em documento, Gabriel critica distanciamento da direção nacional com a base partidária | Foto: Juliane Pimentel

O deputado estadual e secretário-geral do MDB-RS, Gabriel Souza, anunciou nesta segunda-feira, 9 de setembro, que não concorrerá à presidência nacional do MDB – seu nome foi sugerido pela Juventude do MDB-RS e subscrito pelas JMDBs de SC, PR, SP e ES, além da Associação de Vereadores do MDB-RS. Gabriel justificou que sua decisão se deu em virtude do movimento de renovação, liderado pelo ex-senador Pedro Simon, e articulado com o grupo de emedebistas históricos. “A partir desse movimento, uma candidatura de minha parte não seria contributiva e oportuna para o processo”, argumentou.

Apesar de afastar a hipótese de concorrer ao comando nacional do partido, Gabriel apresentou o documento “Renovar é Preciso”, que traz suas considerações ao texto da Fundação Ulysses Guimarães, “Resistir mais uma vez”, que será apresentado na Convenção Nacional, marcada para o dia 6 de outubro, em Brasília. Ao longo de 10 páginas, o parlamentar discorre sobre os desafios da legenda nesta nova sociedade da informação, a necessidade do MDB se reconectar com a sua base partidária e questiona a postura da atual direção de não promover o debate interno.

O emedebista faz uma crítica ao modelo de eleição interna do partido e do distanciamento da direção com a militância. “O novo comando do maior partido político brasileiro, com mais de dois milhões de filiados, será decidido por pouco mais de 300 pessoas. É visível que, dessa maneira, os processos eleitorais não envolvem a base partidária”, diz trecho do documento. E arremata: “a falta de debate produz posicionamentos disformes do pensamento da base partidária e gera o que comumente se chama de “cupulismo”, ou seja, a tomada de decisões exclusivamente por aqueles que compõem a cúpula decisória. Se isso já funcionou em algum momento, é visível que, atualmente, não funciona mais”.

Ao final do documento, Gabriel relembra a história do MDB, destacando momentos importantes, como a luta pela redemocratização, pela estabilidade econômica e política e mais recentemente pelas reformas. “É hora de renovar, de ouvir as ideias das novas gerações e de oportunizá-las cumprir seu papel histórico”, reforça em outro trecho.

Clique aqui e acesse o documento “Renovar é preciso”

Confira o anúncio feito pelo deputado Gabriel Souza 

Carta à militância

Gabriel encaminhou também uma carta à militância, onde detalha os motivos de sua decisão,e reconhece a importância da iniciativa da JMDB-RS no Encontro Estadual de Gramado, em agosto, quando o núcleo aprovou documento pedindo a renovação no comando partidário e sugerindo o nome do deputado à disputa nacional. “Considero tal movimento como um dos mais significativos da base partidária nos últimos anos. Isso porque, nos meus 20 intensos anos de militância, não tenho recordação de algo oriundo dos núcleos do partido que tenha causado tamanha repercussão interna, inclusive com desdobramentos reativos ao mesmo em nível local e nacional”.

Confira abaixo a carta na íntegra:

Tramandaí, RS, 9 de setembro de 2019.

Caras companheiras e companheiros do MDB,

No dia 3 de agosto desse ano, a Juventude do MDB do RS aprovou, no Encontro Estadual de Gramado, um documento onde formalizava sua preocupação com o futuro do partido, pedia renovação no comando partidário e sugeria o meu nome para concorrer à presidência nacional do MDB.

Tal documento foi subscrito pelas JMDBs de SC, PR, SP e ES. Semanas depois foi a vez da Associação de Vereadores do MDB RS, que reúne 1168 parlamentares, lançar nota no mesmo sentido.

Primeiramente, quero afirmar que considero tal movimento como um dos mais significativos da base partidária nos últimos anos. Isso porque, nos meus 20 intensos anos de militância, não tenho recordação de algo oriundo dos núcleos do partido que tenha causado tamanha repercussão interna, inclusive com desdobramentos reativos ao mesmo em nível local e nacional.

É só pararmos para refletir que rapidamente chegaremos à conclusão que esse movimento, além de legítimo e democrático, agitou o partido e fomentou o debate sobre a necessidade de renovação da cúpula nacional.

Desde então, tenho recebido diversas manifestações de companheiros/as do Brasil inteiro concordando com os termos desse movimento e manifestando simpatia a uma eventual candidatura de minha parte, o que interpreto muito mais como um sinal de que a base do partido está ávida por mudanças, do que uma predileção por meu nome dentre os vários outros mais capacitados para exercer a função.

Sabedor do quanto o debate sobre o tema é necessário, tratei de me dedicar a conversar com diversas lideranças do MDB em muitos estados e municípios.

Estive diversas vezes em Brasília dialogando com líderes nacionais, da Fundação Ulysses Guimarães, da JMDB e do MDB Mulher, com parlamentares federais e até com alguns dos atuais dirigentes partidários.

Cheguei até mesmo a visitar outros estados da federação, quando pude ter contato direto com a militância do MDB desses locais. Estes encontros me oportunizaram ouvir a opinião de outros tantos líderes do partido, muitos dos quais, embora anônimos, são fundamentais para a construção partidária.

Em todas essas oportunidades, constatei que urge um movimento de mudança e renovação no MDB nacional.

Ocorre que, paralelamente a esse movimento, um grupo de líderes históricos do MDB do Rio Grande do Sul, liderado pelo ex-senador Pedro Simon, também procurou articular um movimento de renovação partidária.

Creio que ambos os movimentos estão na mesma direção: buscar renovar o comando do partido para manter o MDB vivo na cena política nacional.

Em que pese considerar uma grande honra ter sido lembrado por importantes setores partidários, os quais só tenho a agradecer a confiança em mim depositada, tenho que reconhecer que, a partir do movimento articulado no RS pelo grupo de emedebistas históricos, liderados pelo ex-senador Pedro Simon, uma candidatura de minha parte não seria contributiva e oportuna para o processo.

Para termos chance de alcançarmos nosso objetivo, será necessário estarmos unidos em torno do mesmo propósito. A hora é de pensar no coletivo e de deixar de lado as vaidades pessoais.

Portanto, como forma de contribuição à unidade pela renovação partidária, anuncio três decisões/ações, ambas com o intuito de fortalecer aqueles que defendem as mudanças necessárias no partido:

– O movimento da base que agitou o partido e fomentou esse debate não pode encerrar aqui. Temos que dar continuidade e organicidade para essa corrente de pensamento a qual reúne muitas e muitos, em vários estados, que defendem um MDB renovado, atualizado e pujante. No futuro, voltaremos a falar sobre a continuidade dessa tarefa;

– Publico o documento “Renovar é preciso” (anexo), que reúne minhas considerações ao “Resistir mais uma vez”, documento da FUG para a Convenção Nacional do dia 6 de outubro próximo, com alguns pontos os quais julgo serem importantes para o debate sobre o futuro do MDB;

– Declino de uma eventual candidatura para apoiar o movimento de renovação liderado pelo ex-senador Pedro Simon, confiando que dele sairá uma candidatura forte e viável para disputar e vencer a Convenção Nacional. Fico, agora, no aguardo da oficialização dessa candidatura para iniciarmos a campanha e vencermos a disputa.

Reitero meus agradecimentos e fico à disposição.

Saudações EMEDEBISTAS,

Deputado GABRIEL SOUZA

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email