coronavírusDESTAQUE AGORANotícias

Distanciamento: Litoral Norte sai da bandeira vermelha e passa para bandeira laranja

Pouco mais da metade dos gaúchos está em área previamente classificada com bandeira vermelha. Os indicadores da 17ª rodada do Distanciamento Controlado, divulgados nesta sexta-feira (28/8), apontam 10 regiões, com 240 municípios e 6,1 milhões de pessoas (54,1% da população), sob risco epidemiológico alto para coronavírus.

Veja o mapa no site https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br.

Há seis semanas, cerca de 10,2 milhões de habitantes – 91% da população –, estavam com bandeira preliminar vermelha, o que indica redução importante em áreas sob risco alto de contágio. O Rio Grande do Sul voltou ao patamar registrado há oito semanas, em 3 de julho, quando metade das então 20 regiões Covid foram classificadas previamente em alto risco.

Nesta 17ª rodada do Distanciamento Controlado, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões e Passo Fundo foram classificadas em vermelho. As outras 11 regiões estão com bandeira laranja (risco médio).
Taquara, Novo Hamburgo e Palmeiras das Missões tiveram melhoras em indicadores e ficaram com nota final compatível com a bandeira laranja. No entanto, as três áreas se mantêm em bandeira vermelha por conta da trava para saída da situação de avaliação de risco alto prevista no modelo (duas ou mais semanas em bandeira vermelha em um intervalo de 21 dias).

Essas regiões terão seu nível de risco efetivamente reduzido se apresentarem na semana seguinte uma média compatível com a bandeira laranja.

Até a tarde desta sexta, 11 regiões haviam aderido à cogestão, na qual as regiões podem adotar protocolos menos restritivos à bandeira na qual estão classificadas, mas no mínimo iguais à bandeira anterior: Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado. Além disso, os pedidos de Santo Ângelo, Ijuí e Santa Rosa estão sob análise do governo.

Associações de municípios que optarem pelos protocolos alternativos podem enviar seus planos, desde que aprovados por no mínimo dois terços dos prefeitos e avalizados por uma equipe técnica, pelo formulário https://bit.ly/formulariocogestao, com no mínimo 48 horas de antecedência do início da vigência de seu plano.

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email