coronavírusEstado

Doses de reforço a profissionais da saúde e para pessoas acima de 60 anos começam a ser distribuídas na próxima semana no RS

A Secretaria da Saúde (SES) definiu na manhã desta quinta-feira (30/09) que fará na próxima semana a entrega de doses aos municípios para o início da vacinação de reforço contra a covid-19 em profissionais da saúde e para as pessoas acima dos 60 anos. Está prevista, inicialmente, a distribuição de 270 mil doses de Pfizer para esses dois grupos, o que engloba todos que fizeram a segunda dose até 31 de março. Essas aplicações extras devem ser feitas seis meses após a segunda dose ou dose única.

O acordo foi fechado em reunião virtual da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), com a pactuação junto ao Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS). A entrega dessas doses depende da próxima remessa que o Estado deve receber do Ministério da Saúde, ainda sem data definida, mas que está prevista para ocorrer entre esta sexta-feira (1º/10) e o início da próxima semana. Tão logo o lote seja recebido, ele será separado e dividido pela SES às 18 coordenadorias regionais.

Somando às demais doses previstas para primeira e segunda doses de Pfizer, Astrazeneca (Fiocruz) e Coronavac (Butantan), serão ao todo cerca de 940 mil doses a serem distribuídas pelo Estado aos municípios na próxima semana. As quantidades ainda podem sofrer algum ajuste antes do envio, assim como a definição do número de doses por município, que será anunciada assim que houver o cálculo final dos volumes.

Doses com previsão de envio na próxima semana e orientação de utilização pela SES:

Doses de reforço (Pfizer)

– 69.030 para pessoas com 60 anos ou mais que fizeram segunda dose até 31/03
– 201.240 para trabalhadores da saúde que fizeram segunda dose até 31/03

Primeiras doses (Pfizer)

– 28.080 para a vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos (idade pode variar conforme disponibilidade do município)

Segundas doses

– 92.052 de Coronavac (deve ser aplicada em 4 semanas após a primeira)
– 310.270 de Astrazeneca (deve ser aplicada em 10 semanas após a primeira)
– 248.040 de Pfizer (deve ser aplicada em 8 semanas após a primeira)

Vacinação dos profissionais da saúde

O ordenamento para a vacinação extra dos profissionais da saúde seguirá o fechamento do prazo de seis meses da segunda dose ou dose única. Para as primeiras doses, iniciadas em janeiro, foi feito uma sequência que começou com os trabalhadores da linha de frente (de UTI e emergências, por exemplo) e que aos poucos foi sendo ampliada.

As orientações específicas para essa dose de reforço foram publicadas pelo Ministério da Saúde na Nota Técnica Nº 47 de 2021, elencando todos os trabalhadores que se enquadram nesse grupo. São citados desde os trabalhadores da assistência, vigilância e gestão, assim como os agentes de combate à endemias e apoio (recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros, motoristas de ambulâncias, gestores e outros).

Também estão inclusos os trabalhadores que atuam em cuidados domiciliares, por exemplo, cuidadores de idosos, doulas e parteiras. Além disso, incluem-se os familiares diretamente responsáveis pelo cuidado de indivíduos gravemente enfermos ou com deficiência permanente que impossibilite o autocuidado (apenas o familiar diretamente responsável pelo cuidado).

Até esta quinta-feira (30) o Rio Grande do Sul já teve 626 mil pessoas desse grupo vacinadas com ao menos uma dose (620 mil com primeira dose e 6,5 mil com dose única), sendo que 570 mil já tem esquema completo (564 mil com duas doses e 6,5 mil com dose única).

Cerca de 3,2 mil trabalhadores da saúde já receberam a dose de reforço. Nesse número podem estar incluídos aqueles com mais de 70 anos ou com alguma doença imunológica, para os quais essa dose extra já tinha sido aberta há algumas semanas.

 

 

Fonte: SES

Edição: Gabriela Prestes

 

 

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email