LitoralOsório

Família em situação de rua busca abrigo em casinha do Papai Noel no centro de Osório

Uma cena chamou atenção no final da tarde desta quarta-feira (26/01) no centro de Osório. Uma mãe e uma criança com aproximadamente 2 anos de idade buscaram abrigo na casinha que serviu de decoração natalina na cidade. Proprietários do café ao lado auxiliaram com bebida e comida, porém a família não poderia permanecer no local, sendo solicitado que saíssem pela vigilância municipal.

Algumas pessoas e os vereadores Lucas Azevedo e Charlon Müller se colocaram à disposição para ajudar com abrigo e alimentos, entretanto mãe e filha não foram mais localizadas. Em nota, a secretária de Assistência de Osório, Solange Liçaraça. Se manifestou sobre a situação:

“A Assistência Social neste momento está em processo de implantação do serviço que atenderá situações de rua de segunda a sexta-feira em horário comercial conforme legislação. Até o presente momento não dispõe de uma equipe de abordagem para realizar intervenções nas vias públicas. Aos que não sabem do serviço, um funcionário se desloca até a rua e os convida para receber atendimento com a assistente social ou psicólogo. Na negativa não podemos obrigar a família a sair da rua. Ela tem o direito de ir e vir. Se ela deseja receber atendimento esses profissionais vão encaminhar. No caso de Osório e o litoral como um todo não há abrigos para essa população. Diante desta situação informamos que amanhã a partir das 7h um funcionário da pasta ira convidar essa família para comparecer no CRAS. Peço que se alguém saiba onde poderão estar informe pela manhã para a sua localização e posterior atendimento agradecemos. Ressalto que nenhum município de pequeno porte no país dispõe de plantão de atendimento para urgências. O fato da criança estar com os pais na rua por si só não significa risco. Estão com os pais e, portanto, protegidos. No atendimento amanhã a equipe técnica vai avaliar a situação e definir a melhor forma de resolução conforme desejo da família. Isso pode incluir até o encaminhamento desses a casa de familiares. Antes disso não temos como dizer o que vai ser realizado. Dependerá de avaliação técnica”.

Texto: Lucas Filho

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email