Capão da CanoaDESTAQUE AGORANotícias

Hospitais de Torres e Capão da Canoa necessitam de sangue

hospita torres

Os hospitais Nossa Senhora dos Navegantes, de Torres, e Santa Luzia, de Capão da Canoa, ambos gerenciados pela Associação Educadora São Carlos (AESC), estão trabalhando com estoque de bolsas de sangue no limite e precisam de doações da comunidade. A doação de sangue é decisiva no salvamento de vidas e é um ato que pode ser praticado com mais frequência.

Segundo a agência transfusional do Hospital Santa Luzia, de Capão da Canoa, na manhã desta quarta-feira, 16 de junho, apresenta um estoque estável de bolsas de sangue. Elas são utilizadas em situações de urgência, como acidentes ou pacientes graves, e o número de bolsas é bem variável.  O hospital considera ideal trabalhar com cerca de 20 bolsas, mas tem sido bem difícil manter esse patamar pela falta de doações, um problema que é recorrente em todo o Estado.

No Hospital Nossa Senhora dos Navegantes, em Torres, o nível está muito baixo. Todas as reposições são enviadas pelo Hemocentro, de Porto Alegre. Atualmente, a doação de sangue para os dois hospitais ocorre em Porto Alegre, no Hemocentro (Av. Bento Gonçalves, 3722 – Partenon). As doações são recebidas todos os dias. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, sem fechar ao meio-dia (contato pelo fone: (51)3336-6755.

A responsável Técnica de Enfermagem do Hospital Nossa Senhora dos Navegantes, Caroline Bauer, destaca que alguns municípios, como Dom Pedro de Alcântara, se organizam e levam doadores para o Hemocentro, o que tem ajudado a aumentar as captações. No entanto, ainda são insuficientes e é preciso aumentar a mobilização.

De acordo com a responsável Técnica de Enfermagem do Hospital Santa Luzia, Taise Scapin, nem todas as pessoas são aptas a doar, mas é importante que todas divulguem a causa e se sensibilizem para o problema.

O Hemocentro, de Porto Alegre, diz que os estoques seguem em níveis críticos, mas a campanha Junho Vermelho visa a mudança nesse cenário. Nesta semana, com a comemoração do Dia Mundial do Doador, já é possível notar que houve uma oferta maior de candidatos à doação. Almeja-se que esta oferta continue regular e sistematicamente, pois a necessidade por sangue e seus hemocomponentes são diárias e não somente em momentos isolados.

Quanto ao Litoral, o Hemocentro avalia que neste mês as doações aumentaram em relação ao mês anterior. Porém, avalia que ainda é baixa a oferta de candidatos à doação nesta região, devido ao potencial que ela possui.

Em junho, temos a campanha nacional “Junho Vermelho”, criada em 2015 e estendida para todo o país pelo Ministério da Saúde, a qual incentiva a doação de sangue e reforça o espírito de solidariedade e amor ao próximo. Em virtude disso, os hospitais relembram a importância do ato de doar sangue e sempre no mês de junho solicitam mais doações, pois é a época do ano em que elas costumam diminuir, principalmente agora durante a pandemia da Covid-19.

Saiba quem pode doar sangue:

-Pessoas que estejam em boas condições de saúde;

-Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até os 60 anos (menores de 18 anos devem levar documento de identificação e formulário de autorização dos responsáveis);

-Pesar no mínimo 50 kg;

-Estar descansado (ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas);

-Estar bem alimentado (evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação);

-Apresentar documento original com foto recente, que permita a sua identificação, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional de Habilitação e RNE-Registro Nacional de Estrangeiro).

 

A Folha Torres

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email