Estado

Rolante decreta situação de emergência devido à estiagem

A cidade de Rolante vive situação de emergência em função da estiagem pela qual passa a região e todo o Estado. O prefeito Pedro Rippel assinou decreto em 5 de janeiro após reunir-se com o coordenador geral da Defesa Civil, Cleber Zaro, bem como secretários municipais e avaliar a situação.

De acordo com a administração, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Rolante vem abastecendo, com caminhão-pipa, a cada três dias cerca de 40 famílias que residem nas localidades Glória, Canta Galo, Sertão do Canta Galo, Morro Grande, Maragata e Colônia Monge, comunidades mais afastadas do centro da cidade.

As propriedades rurais já contabilizam cerca de 30% de perdas nas produções agrícolas, ocasionada pela falta de chuvas. “O longo período sem chuva afetou bastante a produção e o abastecimento de água tanto para o consumo humano quanto para os animais e a irrigação das plantações. Já estamos estudando alternativas para amenizar esta situação”, disse o prefeito.

Segundo ele, atualmente se busca apoio para a perfuração de micropoços artesianos e a construção de redes de água nas localidades que estão com graves problemas de abastecimento de água.

Famurs promove reunião para tratar sobre os efeitos da estiagem na próxima segunda-feira (10/01)

O presidente da Famurs e prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto, convoca os 497 prefeitos (as) do Rio Grande do Sul para a construção de um debate que visa buscar soluções rápidas para os municípios atingidos pela estiagem. A reunião será realizada no auditório da Famurs (Marcílio Dias, 574), a partir das 9h. A orientação da entidade é que os presidentes das Associações Regionais e as entidades participem de forma presencial e os prefeitos de forma virtual.

Temas como zoneamento agrícola, dívidas da agricultura, liberação de recursos, linhas de créditos, licenciamento ambiental e detalhes do Avançar na Agricultura serão debatidos. Participam da mobilização: Prefeitos(as), Secretaria da Agricultura do RS, Ministério da Agricultura, Senadores, Deputados Federais, Superintendência da Agricultura, Emater, Defesa Civil, AL/Comissão de Agricultura, Fetag, Federasul, Farsul, Fecoagro, Consema/Famurs (representante dos secretários de agricultura) e Associação de Produtores.

Eduardo Bonotto decretou nesta segunda-feira (03/01) situação de emergência no município de São Borja em razão da estiagem. A falta d’água preocupa a administração municipal, tanto em relação ao dano humano, como no que diz respeito a Agricultura e Pecuária no município.

“Hoje a estiagem é a nossa maior preocupação. Estamos colocando toda a equipe técnica da Famurs à disposição dos municípios atingidos pela seca. Vamos também elaborar um documento relatando a preocupação dos municípios com este grave cenário provocado pela seca. Temos que agilizar o reconhecimento e homologação dos decretos e encaminhar recursos para atendimento para as famílias. Por isso aqui na Famurs temos que orientar os gestores de forma permanente. Temos a preocupação com a necessidade de cestas básicas, com os recursos para o transporte de água, o deslocamento dos caminhões pipa e os investimentos para a perfuração dos poços”, destaca o presidente da Famurs e prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto.

Conforme a área técnica de agricultura da Famurs, mais de 50 municípios relataram à Famurs, através de sua área técnica perdas agropecuárias no milho, como na evolução do desenvolvimento da soja, também no fumo, hortaliças, bem como redução na produtividade da bacia leiteira.

“A medida tem o objetivo de mobilizar diversas ações que possam mitigar os efeitos da seca nas atividades econômicas e cadeias produtivas da agricultura gaúcha”, ressalta o Coordenador Geral da Famurs, Salmo Dias de Oliveira.

Fonte: Ascom PMR/Famurs

Edição: Gabriela Prestes

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email