ÁUDIOENTREVISTASNotícias

Sem licença de operação da ETE, loteamento Campestre em Osório sofre com indefinição do tratamento de esgoto

Um dos mais belos empreendimentos de Osório, o loteamento Campestre, localizado no Bairro Glória, permanece sem solução para o tratamento de esgoto. Com grande parte de lotes vendidos, moradores atuais e futuros estão preocupados com a problemática.

Na última segunda-feira (1º) uma reunião em busca de soluções aconteceu com representantes, e moradores do loteamento na Câmara de Vereadores de Osório. Sem a presença de representantes do executivo, o grupo buscou respostas no gabinete do Prefeito Roger Caputi. A situação se deve em razão da estação de tratamento de Osório (ETE) que permanece sem licença de operação, devido uma ação judicial promovida pelo município de Santo Antônio da Patrulha.

A Jovem Pan conversou sobre a situação do loteamento, e de outros empreendimentos de Osório, com o Secretário de Meio Ambiente Dirlei Matos de Souza. O secretário comentou que o setor jurídico da prefeitura segue em negociação com a CORSAN, na busca de licença provisória da estação, tendo em vista que segundo a empresa o sistema de tratamento está concluído, restando apenas a liberação no âmbito legal.

O secretário disse que até mesmo as alternativas, que seria a colocação dos resíduos, com quase 97%, em reuso nas lavouras e campos não será considerado pelo juizado de Santo Antônio da Patrulha sem a liberação da operação. Outra alternativa apresentada aos empreendedores é que as estruturas invistam nas próprias estações de tratamento de esgoto.

A proposta do município é uma licença provisória de ao menos dois meses, e através de estudos comprovar a pureza da água tratada. A expectativa que uma nova decisão seja anunciada nos próximos dias.

Confira, abaixo, o áudio:

Texto: Lucas Filho

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email