DESTAQUE AGORANotícias

Tramandaí completa 56 anos de emancipação política nesta sexta-feira

O município de Tramandaí completa nesta sexta-feira (24/09), 56 anos de emancipação política. Em virtude disso, a Prefeitura Municipal, por meio do decreto N° 4932/2021, declara ponto facultativo nesta sexta-feira, dia 24 de setembro, considerando o aniversário da cidade. Por isso, não haverá expediente nas repartições municipais, exceto para os serviços considerados essenciais que são: UPA 24h; Farmácia Municipal – das 8h às 12h; UBS São Francisco II – das 7h às 19h. Nos demais setores públicos, o atendimento retorna na segunda-feira, 27 de setembro.

Um pouco da história de Tramandaí

Com a revisão do Tratado de Tordesilhas as terras do Sul do país passaram para os portugueses. Em l680, cria-se a Colônia do Sacramento para garantir o direito de posse destas terras. A sobrevivência do território dependia de Laguna e o direito entre estes dois pontos era feito através do litoral.

Começa o desenvolvimento do gado, das charqueadas e extração do ouro. Depois de 1700, intensifica-se o caminho dos tropeiros. Surgem os primeiros rincões e invernadas de tropas. Tramandaí transforma-se em caminho de aventureiros em demanda das possessões espanholas, os bandeirantes que vinham aprisionar índios, jesuítas espanhóis e portugueses, soldados que passavam para a Colônia do Sacramento, etc.

O rio Tramandaí ficou conhecido porque oferecia obstáculo natural a todos que por aqui passavam. O povoado de Tramandaí, oficialmente inicia-se em 26 de outubro de 1732, quando Manoel Gonçalves Ribeiro recebe a 1ª Sesmaria do Estado no local chamado “Paragem das Conchas”.

O nome do povoado deve-se ao rio que era notável por sua piscosidade. Tramandaí inicia-se às margens do rio, com ranchinhos de palha que os pequenos pescadores erguiam para a temporada de pesca. Depois, passaram a se fixar aí pela abundância do pescado. Mais gente chegava de Laguna. Também pequenos agricultores da região estabeleceram-se aqui como comerciantes, porque nesta época, 1906, Tramandaí já era procurada como balneário. Havia aproximadamente 80 casas. Dois hotéis já funcionavam durante o verão: Hotel Saúde e Hotel Sperb. A economia passa a girar em torno da pesca e do veraneio. Em 1908 é construída a primeira capela de Tramandaí, Nossa Senhora dos Navegantes.

Melhorando a via de acesso ao Litoral com a construção da estrada em 1939, a cidade começa a se desenvolver, recebendo grande impulso quando a Petrobrás inaugura o TEDUT nesta região, em 1968. A emancipação político-administrativa de Tramandaí aconteceu em 24 de setembro de 1965, quando Tramandaí emancipou-se do município de Osório. Com a pesca escasseando e sentindo-se a necessidade de novas habitações para todos que procuram essa praia para o lazer e descanso, a economia passa a girar em torno de nova fonte de renda: a construção civil.

Tramandaí se modifica: mesmo na época de inverno, bares e restaurantes abrem suas portas à noite, o que antes não acontecia. Hoje, Tramandaí vive duas vidas distintas: a de verão, atendendo e acolhendo milhares de veranistas, oferecendo seu lado de lazer, programações intensas e a de inverno, para aqueles que procuram momentos saudáveis e tranquilos à beira mar.

A origem do nome Tramandaí

Tramandaí, a origem do nome é tupi-guarani, aparece em documentos antigos com diversas grafias: Taraman, Tramandi, Termandi, Tramando, Taramandahy, Tamandatay – Tramandahy.

Possíveis significados: Rio dos meandos (sinuoso); Rio roedor (havia muita capivara e ratão do banhado); lugar onde se cerca para colher (pescar com redes).

Referências Bibliográficas: Livro- Tramandaí Terra e Gente – 2ª Edição/1986-Pallotti – Produção Editorial: AGE- Assessoria Gráfica Editorial Ltda. Autoras: Leda Saraiva Soares e Sonia Purper.

Fonte: Ascom PMT

Edição: Gabriela Prestes

Siga e curta a JP News nas redes sociais:
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
RSS
Seguir por Email